sexta-feira, 16 de julho de 2010

Visita Técnica: Restaurante Mocotó



Esses dias fizemos uma visita no restaurante Mocotó em que me surpreendeu o carisma e a simplicidade do Chef Rodrigo Oliveira.
Ao chegar em seu restaurante nós recebeu e logo foi falando que acabara de vir de seu fornecedor de carnes na pesquisa de um novo corte para novos pratos.
Depois de uma conversa em um dos salões aonde serve um almoço digno de um sertão pernambucano que parece estar tão presente e com uma culinária simples digna de um brasileiro.
Visitamos cozinha, pré-preparo, estoque, manipulação e cozinha principal, também conhecemos seu pai, da onde vem sua historia e sua simpatia.
Ao pensar que tudo já estava no fim e o salão começando a encher para o almoço (e os garçons que não posso deixar de comentar na correria para poder atender com um carisma que parece que passa de cozinha para o salão) nos deparamos com um almoço oferecido pelo chef.Uma surpresa e tanto porque a fome já esta forte rsrsrs.
No almoço nos deliciamos com:
Lingüiça com Cebola roxa e Cachaça
Torresminhos que ele faz com excelente manejo da banha do porco.
Baião de Dois
Favada (nunca tinha comido e me apaixonei pelo grão!!!)
Feijão de Corda
Sem dispensar os acompanhamentos:
Mandioca derretendo
Alho Assado
Pimenta Biquinho
Na sobremesa:
Pudim de Tapioca 
Sorvete de Rapadura feito na casa.

Como o restaurante coleciona cachaça, ofereceu uma da sua região(apenas para degustar).
Adorei a visita e voltarei mais vezes(apesar de ser na zona norte longe do burburinho gastronômico) e se você tiver a oportunidade visite.
Conheça a historia e muito mais no site: www.mocoto.com.br

Abraços. 

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Leituras Gastronômicas Parte 3

Carlota - Balaio de Sabores

O livro tem cerca de 200 receitas, testadas pela chef Carolina Brandão, sob a coordenação milimétrica de Carla Pernambuco, que ainda regeu a seleção, atualização e padronização dos itens apresentados, dispostos em índice remissivo. Direção de arte e layout são do designer gráfico Leandro Bertelli, que contou com fotografias assinadas por Rômulo Fialdini e Nando Pernambuco. Este, sócio e principal mentor da atmosfera inigualável do Carlota. Depois de oito meses entre pesquisas e definição das abordagens dos dez capítulos, todos escritos pelo jornalista Eduardo Logullo a partir das idéias lançadas pela chef, o resultado surpreende desde o início da leitura. Primeiro, por envolver situações inéditas em publicações gastronômicas no Brasil, a exemplo de textos sobre comidas para gente urbana apressada que não abre mão de comer bem (Sem Tempo?); um pot-pourri de receitas clássicas atualizadas pela chef (o capítulo Pelo Mundo - O Batuque Global das Cozinhas traz iguarias do Peru, Líbano, Portugal, Estados Unidos, Indochina, Itália e França); opções culinárias divertidas para um casal apaixonado (Namoricos no Sofá); receitas que garantem o sucesso de qualquer comemoração (Hoje é Dia de Festa); um passeio culinário por cores e aromas da cozinha nacional (Meu Brasil Brasileiro); observações sobre pessoas que implicam com qualquer novidade na cozinha (O Que é Isso?); receitas perdidas nas gavetas ou nos livros das avós (Saudades e Sabores); sugestões atraentes e saborosas para quem tem pavor de ganhar um grama a mais na silhueta (No Ponteiro da Balança); um the best dos pratos mais saudados pelos freqüentadores do Carlota (Prata da Casa) e, pela primeira vez no Brasil, uma tomada de posição inteiramente voltada à alimentação eticamente correta (Culinária Responsável).