sexta-feira, 21 de agosto de 2009

A NOVA COZINHA BRASILEIRA


Vou postar uma bela repostagem sobre a nova cozinha brasileira.


------------------------------------------------------------------------------------------



Ao explorarem sabores e ingredientes do país, chefs e restaurantes de São Paulo protagonizam uma onda de modernidade que abre perspectivas inéditas para a gastronomia brasileira; veja onde provar essa nova cozinha.

JOSIMAR MELOCRÍTICO DA FOLHA

No começo, era um chef mais ousado aqui, outro ali; e na cola deles, mais meia dúzia que se comparava em atrevimento, mas não em talento. Era um tempo -não muito longe, de 20 anos para cá- em que os melhores cozinheiros do Brasil eram franceses ou italianos.
As coisas mudaram. A cozinha brasileira vive uma nova fase, hoje já bem nítida. Restaurantes e chefs protagonizam uma onda de modernidade que abre perspectivas inéditas para a gastronomia do país.
É claro que o chef-símbolo disso é Alex Atala, do D.O.M. É claro também que para muita gente "aquilo não é comida" nem aquele é grande cozinheiro, apenas marketing. Reações normais diante da inovação.Mas para os curiosos em perscrutar os novos destinos para a gastronomia brasileira, Atala e sua geração representam um horizonte promissor.
O que tem de novo essa nova onda? A ousadia técnica, a experimentação? O melhor é que a resposta é: não. O que tem de novo é a assunção de uma originalidade brasileira, baseada na exploração de sabores e ingredientes do país combinada com a curiosidade de tatear novas fronteiras de gosto e de técnica.
Peixes da Amazônia, farinhas de vários cantos, queijos de rincões delimitados, temperos, raízes e frutos de nomes estranhos e sabores reveladores, passam a ser manipulados com sábia desfaçatez, sejam cozidos em vácuo a baixa temperatura, batidos no calor de máquinas espanholas ou simplesmente esmagados em prosaicos purês.Não é a primeira vez que os ingredientes do país são assimilados de forma criativa. Nem é a primeira vez que surgem chefs criativos. Recapitulando.
No começo dessa história recente, a cozinha brasileira começou a respirar diferente, nos anos 80, quando jovens chefs egressos da França e das lições da nouvelle cuisine francesa chegaram ao Brasil. Claude Troisgros e Laurent Suaudeau praticaram a cozinha de seus mestres, mas procurando se virar com os ingredientes que tinham às mãos. E com isso redimiram mandioquinha, maracujá, banana, jabuticaba. Mas era ainda uma cozinha francesa. Só que com produtos brasileiros, o que não deixou de ser um avanço num país em que os principais cozinheiros mal e mal valorizavam as cozinhas regionais e seus produtos.
Agora é diferente. São os chefs brasileiros que olham para o Brasil. E com olhos modernos, não de nostalgia. Claro, aqueles que preservam as tradições regionais têm enorme importância para a manutenção do patrimônio cultural gastronômico. Assim como, em outro extremo, há chefs de grande talento que fazem uma cozinha moderna sem se ater ao celeiro brasileiro.
Todos têm grande valor. A novidade, porém, está naqueles que usam os potenciais dos nossos produtos e tradições para criar algo de novo, apoiando-se nos ensinamentos que a cozinha moderna e de vanguarda vem legando ao mundo.
E aqui há chefs que começaram resgatando tradições antigas e hoje praticam também uma cozinha moderna -como Mara Salles, do Tordesilhas. Outros que beberam diretamente na fonte da vanguarda espanhola, sem, no entanto, se reduzir a imitá-la -caso de Helena Rizzo (que comanda, com o espanhol Daniel Redondo, o Maní) e de Felipe Ribenboim (que dirige, com Gabriel Broide, a cozinha do Dois).
Em comum há o fato de que não correspondem mais ao velho padrão do cozinheiro brasileiro -o nordestino iletrado, talentoso mas inculto- e são oriundos de uma classe média urbana e mais culta. Contra a pasteurização da globalização, as culturas do mundo reagem se auto-afirmando. O Brasil dos rincões, da cozinha regional perpetrada por talentos naïfs, cede lugar a um Brasil mais urbano e aberto para o mundo -mas ainda assim, Brasil.
Cozinha sincopada
Essa nova cozinha faz lembrar um movimento da cultura brasileira que se impôs ao mundo: o da criação da bossa nova. Sua base foi uma música de raiz brasileira -o samba-, praticada em sua origem popular, e que músicos cultos de classe média urbana combinaram com influências de fora (como o jazz) para fazer algo original mas de ginga brasileira.
E a nova cozinha? Tem raízes brasileiras, nas referências às receitas regionais e produtos locais, praticadas por cozinheiros de origem popular; e que agora chefs cultos de classe média urbana combinaram com influências de fora (francesa e espanhola) para fazer algo original e de sabor brasileiro...
Se você se interessou pelo texto abaixo, pode querer provar alguns dos pratos que demonstram essa corrente que vem se firmando na gastronomia brasileira. Aqui vão alguns deles, encontrados em São Paulo:


- Bananeira - chef Maurizio Ganzarolli
R. Marechal Hastinfilo de Moura, 417, Morumbi, tel. 0xx11 3502-4635
Costela de tambaqui na brasa com redução de tucupi e ravioloni de pupunha; galetinho com purê de mandioquinha com bacon crocante, molho rôti, queijo coalho e mel de engenho; brûlée de banana com gengibre.

http://www.bananeiramorumbi.com.br/


Espetinho de camarão rosa com tapioca de queijo coalho, banana da terra grelhada e espuma de coco servido no Bananeira.



- Brasil a Gosto – chef Ana Luiza Trajano
R. Prof. Azevedo do Amaral, 70, Jardins, tel. 0xx11 3086-3565
Abadejo com crosta de baru, purê de banana-da-terra e vinagrete de laranja-lima; rabada desfiada com canjiquinha, banana assada e abóbora caramelada; tortinha de farinha de caju com chocolate, geléia de bacuri e calda de pitanga.
http://www.brasilagosto.com.br/

- D.O.M. – chef Alex Atala
R. Barão de Capanema, 549, Jardins, tel. 0xx11 3088-0761
Ostras empanadas com tapioca marinada; raia na manteiga-de-garrafa e tomilho-limão com mandioquinha defumada, brócolis e espuma de amendoim; jarret de vitela com canjiquinha e lardo; sorbet de jabuticaba e wasabi.
http://www.domrestaurante.com.br/

- Maní - chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo
R. Joaquim Antunes, 210, Jardim Paulistano, tel. 0xx11 3085-4148
Ovo perfeito com espuma de pupunha; maniocas (tubérculos assados com espuma de tucupi e leite de coco); reinterpretação da feijoada; canudo de canela com espuma de banana e sorvete de maracujá.
http://www.restaurantemani.com.br/

-Tordesilhas - chef Mara Salles
R. Bela Cintra, 465, Consolação, tel. 0xx11 3107-7444
Aparecidinho de polvo; filhote ao molho de hortaliças com purê de banana-da-terra; joelho de porco com feijão-manteiguinha de Santarém; compota de maracujá em musseline de pequi e sequilhos em chocolate.
http://www.tordesilhas.com/



Aproveitem as dicas e se deliciem na comida brasileira de alto padrão.



Beijos e abraços.

FÊ - MONT´S

BAR AMERICANO SERVE HAMBÚRGUE DE 60 QUILOS


Mais uma!!!


Um restaurante de Detroit, nos Estados Unidos, entrou para o Livro Guinness dos Recordes por servir o maior hambúrguer do mundo.
O sanduíche está no cardápio do restaurante e pode ser encomendado com 24 horas de antecedência.
Para preparar o hambúrguer de 60 quilos, são necessários vários funcionários, trabalhando por 12 horas. O preço da guloseima é de US$ 350, o equivalente a quase R$ 600.


10 MANDAMENTOS DE UM BOM HAMBÚRGUER


O que um hambúrguer precisa para ser considerado bom? Os 10 mandamentos do hambúrguer.

1 - O hambúrguer de verdade deve ser preparado apenas com carne bovina, só carne, nada mais.2 - O tempero é sal e pimenta-do-reino.3 - O pão deve ser levemente tostado.4 - A carne deve ser tostada por fora e macia e rosada por dentro.5 - Se for cheeseburger, queijo na medida certa para não mascarar o sabor da carne.6 - Pepinos em conserva e anéis de cebola crua são complementos perfeitos.7 - O bacon, quando acrescentado ao sanduíche, deve ser crocante.8 - Pegar leve na maionese, só pra complementar o sabor.9 - Não abusar de ketchup nem de mostarda.10- E para finalizar, nada de hambúrgueres industrializados, são péssimos!
Beijos e Abraços.
FÊ - MONT´S

SANDUBAS DIFERENTES!!!


EM UMAS DAS MINHA PESQUISAS NA NET ACHEI UM SITE MUITO INTERESANTE.


NA VERDADE É UM BLOG QUE MOSTRA DIFERENTES FORMAS DE APRESENTAR SEUS SANDUICHES.


MELHOR DO QUE CONTAR VOU MOSTAR PARA VC´S.





BEIJOS E ABRAÇOS.

FÊ - MONT´S






"BAURU SEM TOMATE É MISTO"



BEM COMO ME COBRARÃO MUITO POR ESTE POST , NÃO PUDE DEIXAR DE FAZER...

NA PRAIA ,O SOL, CERVEJA ,VODKA DE PÊSSEGO,SOM, ILUMINAÇÃO E AMIGOS DEIXA AS PESSOAS COM O CÉREBRO UM POUCO DESMIOLADO...

NUMA BRINCADEIRA COM A ALINE, FIZ UMA MUSICA BEM TOSCA MAIS QUE MEU AMIGO JAY CANTAVA AS VEZES PARA DESCONTRAIR QUE REPRESENTA A VERDADE.


"BAURU SEM TOMATE É MISTO..BAURU SEM TOMATE É MISTO"RSRSRSR


A GALERA ABRAÇOU COM MUITO ALVOROÇO A MUSICA E VIROU HIT NO NIVER DO FLAVIO.

SENDO ASSIM QUE A SENHORITA ALINE NO SEU AUGE SE DESMANCHOU DE RIR E AI VEIO AS VARIAÇÕES , A GALERA TEM UMA MENTE MUITO FERTIL PARA ESSAS COISAS..


"MISTO SEM BAURU É TOMATE".......RSRSRSRSRS E MUITAS OUTRAS....


VOCÊ DECIDE O RITMO....RSRSRS(NÃO CONSIGO PARAR DE RIR IMAGINANDO A CENA...)RSRSRSR


E COM ESSA MUSICA DELICIOSA, QUE CHEGA A DAR FOME, EU VOU TERMINANDO ESSE POST.


BEIJOS E ABRAÇOS..

- MONT´S

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

TAMBEM TEM VINHOS BONS E BARATOS....



Comprei este vinho por R$19 e fiquei satisfeito com o resultado. Vinho simples, mas equilibrado e agradável. Um bom exemplar para o dia-a-dia, com o tradicional corte uruguaio de Tannat e Merlot, presente em vinhos de linhas mais simples. É produzido pela conhecida Montes Toscanini, na região de Canelones, onde está situada a capital do país, Montevidéu.
Na taça apresentou coloração vermelho rubi, com lágrimas rápidas. Bons aromas, com início amadeirado, abrindo-se posteriormente para agradável frutado e algumas notas florais. Sem complexidade.

Apresentou menos estrutura do que esperado para um vinho com Tannat, uma contribuição dada pela Merlot. Taninos macios, com leve aspereza. Acidez discreta. Retro-olfato gostoso, marcado por muita fruta e leve lembrança do carvalho. Final persistente, mesclando bem fruta e madeira, com clara lembrança de côco e tabaco.
Vinho com certa elegância para a faixa de preços. Melhor em boca do que no nariz. Beba logo!


Não sou (ainda) um dos melhores degustadores e gourmet para dar dicas muito sofisticadas, mais os vinhos baratos e bons colocarei por aqui..


Aproveitem..


FÊ - MONT´S

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

BISTECA DE PORCO COM AIOLI E RATATTOUILLE




Uma receita muita saborosa e pratica de ser preparada, um prato que pode surpreender muitas pessoas, uma carne que bem preparada pode ficar bem deliciosa é a bisteca o grande truque dessa carne é não deixar ela muito tempo no fogo, pois a mesma pode endurecer e daí sim fica uma carne ruim, esse prato também acompanha uma maionese aioli que é uma delicia e vem também com um acompanhamento chamado ratattouille que são alguns legumes cozidos, bom vou parar de enrolar e vou passar a receita...rsrs




Ingredientes:Bisteca de porco 2 Unidades


Sal QB


Pimenta preta QB


Limão Siciliano 1 Unidade


Ovos 2 Unidades


Alho 3 Dentes


Cheiro Verde QB


Abobrinha 80 gr


Berinjela 80 gr


Pimentão Vermelho 20 gr


Pimentão Amarelo 20 gr


Azeitona Verde 3 Unidades


Azeitona Preta 3 Unidades


Tomate cereja 8 Unidades


Azeite de Oliva QB



Modo de preparo:1. Primeiro passo é temperar a bisteca, com sal, pimenta e o sumo do limão siciliano e deixar ele curti.2. Vamos preparar o Aioli, coloque em um recepiente 2 gemas, um pouco de ácido (vinagre ou limão), e misture, logo em seguida acresente óleo e misture durante um tempo, corte o alho em tirinhas bem finas junto com um pouco de cheiro verde (salsa,cebolinha) e acresente no final do processo.3. Daí podemos preparar o Ratattouille, corte os legumes em cubinhos, em uma panela coloque o Azeite de oliva e refogue a cebola, logo em seguida adicione a berinjela, abobrinha, pimentão Vermelho e o Amerelo e as Azeitonas e deixe ali por uns 5 minutos pra pegar sabor, no final acresente o Tomate cereja esse por sua vez não pode ficar muito tempo no fogo, entao somente na hora de finalizar o Ratattouille é que se deve colocar .4. Por ultimo em uma frigideira, faça a bisteca, lembrando-se que não pode ficar muito tempo no fogo, porque se não a carne fica dura.



Bom esse é um prato simples e barato de se fazer e fica muito saboroso!!



FÊ - MONT´S

Filé de Frango com Molho de Ervas e Espaguete de Abobrinha



INGREDIENTES PARA O ESPAGUETE:


3 abobrinhas verdes bem firmes
2 tomates sem pele e sem semente cortados em cubos bem pequenos
Raspas de 1 limão
1 colher de chá de tomilho fresco
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de amêndoas laminadas e levemente torradas
Sal e pimenta do reino


PARA O FILE:


8 files de frango
1 colher(sopa)de suco de limão
1 colher(chá)de sal
1 colher(sopa)de margarina
1 colher(sopa)de cebola picada
1 colher(sopa)de cheiro-verde picado
2 colheres de sopa de ervas finas
1 colher de sopa de molho inglês



MODO DE PREPARO:


Lave as abobrinhas e deixes com casca.
Corte cuidadosamente, com faca afiada ou descascador chines,
em tiras tão finas como
espaguete, desprezando a parte interna.
Aqueça o azeite em uma frigideira larga e salteie as tiras por
dois minutos, até deixar a abobrinha al dente.
Junte o sal, a pimenta do reino, o tomilho, as raspas de limão e
metade das amêndoas torradas e o tomate e coloque por cima do espaguete.
Tempere o frango com o limão e o sal. deixe tomar gosto por 10
minutos.


Numa panela,derreta a margarina em fogo médio,doure os
files e reserve em local aquecido.
molho:Misture todos os ingredientes fazendo uma pasta no liquidificador e coloque sobre os files.

Pronto.
Bom Apetite.

O que é Gastronomia para você?


O que é gastronomia? Parece ser uma coisa simples de dizer mais muitas pessoas não sabem o verdadeiro significado do que é gastronomia, eu realmente nunca tinha parado pra pensar o que é gastronomia até que um dia na aula de Habilidades Básicas meu professor começou a perguntar para toda a turma o que é gastronomia?

Uhh ! Adivinha quantos responderam corretamente?

Nenhum pois a grande maioria dizia apenas que a gastronomia é o estudo de alimentos, mais ainda faltava alguma coisa pois no contexto geral gastronomia é o estudo de alimentos e bebidas, isso mesmo pois a bebida também faz parte da gastronomia o vinho que você coloca para elaborar um molho ou para dar aquele requinte a um prato.

Então se algum dia você for abordado por alguém e ele lhe perguntar o que é gastronomia você já sabe o que dizer!

Brigada na Cozinha


Existe uma especialização na cozinha como se fosse médico, quando um médico se forma ele é conhecedor de fisiologia e logo depois vai se especializar em uma área como ginecologia, pediatria entre outros. Na gastronomia não foge do contesto, pois todos formados são conhecedores de facas, panelas, processos higiênicos de preparo dos alimentos, sendo assim o profissional vai em busca de um aperfeiçoamento em uma determinada área, por isso estarei falando um pouco sobre as principais áreas que tem dentro de uma brigada da cozinha! Chefe executivo de cozinha: Planeja, dirigi e supervisiona o trabalho de cozinha, requisita gêneros, elabora cardápios, cria receitas, treina os funcionários, acompanha o resultado e o desempenho financeiro da sua área.Sub-Chefe: Substitui o chefe de cozinha em tudo e liderar a cozinha na sua ausência. Mais vezes é responsável pela compra e inventário do estoque.Saucier: Prepara os molhos quentes que serão utilizados para dar personalidade aos pratos, tais como o molho bechamel, demi glacê, etc. Na maioria das vezes é responsável pelas carnes e frango. Poissioner: Prepara os peixes e frutos do mar e pratos principais, intermediários e entreadas e saladas; são de sua responsabilidade os molhos que acompanham seus pratos.Entremetier: Responsável pelos acompanhamentos quentes nos pratos principais e intermediários, guarnições de legumes e batatas como também o preparo de sopas.Garde-manger: Responsável pelos aperitivos, entradas e saladas e em varias funções substitui o pâtisserie. Pâtisserie: Responsável pelos sorvetes, doces e sobremesas em geral. Potager: Preparam os fundos e caldos com carnes, peixes, legumes que serão servidos como entradas quentes, como os vários tipos de consommés ou ainda as sopas e cremes.Boucher: Limpa, separa em cortes e porciona carnes e aves. Desenvolve tipos diferentes de cortes de carne, tempera-as e envia ao rôtisseur (responsável pelos assados).